O Acervo

O Acervo do Arquivo Histórico da Escola Politécnica começa com a própria criação da Escola, que se dá com a promulgação da lei estadual 191 em 24 de agosto de 1893 e da sua instalação em sessão solene da congregação em 15 de fevereiro de 1894.


Nessa época, a cidade de São Paulo contava com 64.934 habitantes (Padilha, p. 41) e tinha uma vida pacata e provinciana.


Escola Pública na Rua da Consolação - Gaensly - 1907

Escola Pública na Rua da Consolação - Gaensly - 1907


No começo do seu funcionamento, a Polytechnica (sua grafia original – vide p. ex. BR USP EPSP C4.01 1321/2) tinha turmas pequenas (foram admitidos 31 alunos no primeiro ano) e com uma estrutura bem diferente do que existe hoje [vide Santos, Capítulo IV].


Também os cursos eram mais variados, não só engenharia. Por exemplo, Conductores de Trabalho:


Os primeiros engenheiros da Escola Polythecnica se formaram em 1898-1899. [Em 1896 – Justino de Baere se forma Engenheiro-Geógrafo - BR USP EPSP C4.01 14/11].


Desde o início do funcionamento da Escola foram estabelecidos procedimentos e sistemas de controle: livros onde se registrava a presença de docentes e funcionários e arquivos onde se guardavam os documentos de alunos e professores.


Era costume naquele tempo que os documentos produzidos pela administração da Escola fossem, ao final de cada ano, agrupados em "copiadores de expediente" que são livros encadernados, de formatos diversos, com um índice alfabético em suas primeiras páginas e cópias de cada documento, na parte posterior.


Os documentos contidos em tais livros mostram, de forma bastante detalhada, a vida cotidiana da Escola. Nele encontramos:


Ofícios curiosos como:
BRUSPEPSPC401_1321-0002


Cartas de condolências:
BRUSPEPSPC401_0054-0028


Cartas de agradecimento:
BRUSPEPSPC401_0417-0026


Não só o nome mudou no decorrer do tempo. A Poli mudou de endereço três vezes nesses mais de 120 anos.


Tudo começou na Av. Tiradentes nr. 1. Esse endereço já não existe, apenas uma foto.


Depois, a Poli se mudou para o edifício na praça Brigadeiro Tobias, na frente da atual Estação Tiradentes do metrô.


Por fim, a partir de 1960, a Poli foi para o campus da USP no Butantã, sendo que este processo se deu em etapas.


Em todos esses momentos, o seu acervo documental a acompanhou, levando o registro da vida acadêmica de alunos, professores e funcionários.


Nem sempre a vida transcorreu tranquila e, em diversos momentos históricos, a Poli como um todo, participou ativamente das mudanças sociais do país. Entre outros momentos importantes, a Escola, seus alunos e professores viveram intensamente a Revolução de 1932.


Foto atual do monumento aos mortos na Revolução de 1932, em um pátio da Engenharia Civil

Diversos alunos e ex-alunos, inclusive, morreram lutando pela promulgação de uma constituição.


Foto da parte posterior do monumento aos mortos na Revolução de 1932, em um pátio da Engenharia Civil

No Acervo podem ser encontrados documentos desses alunos.


Augusto de Souza Barros
Prudente Meirelles de Moraes
Mauro Augusto Muniz de Aragão


O Arquivo Histórico conta hoje com milhares de documentos divididos, na sua origem, em três grandes grupos: acadêmicos, administrativos e financeiros.


Os documentos gerados até 31/12/1954 são considerados de guarda permanente. Os documentos que foram elaborados após esta data, devem ser preservados segundo a regras do guia de preservação de documentação da USP.


Na etapa atual deste projeto, foram digitalizados e disponibilizados aproximadamente 85 mil itens, relativos ao período de 1893 a 1934.


Na etapa atual deste projeto, foram digitalizados e disponibilizados aproximadamente 85 mil itens, relativos ao período de 1893 a 1934.


Ainda assim, com o passar do tempo, mais documentos vão se juntar aos existentes, criando continuamente a história da Escola Politécnica.


Bibliografia


Santos, Maria Cecília Loschiavo dos, Escola Politécnica da Universidade de São Paulo : 1894-1984 / Maria Cecilia Loschiavo dos Santos -- São Paulo : Rusp, 1985. 668 p.


Padilha, Rodrigo Bastos, Antonio Francisco de Paula Souza: criador da Escola Politécnica de São Paulo (1843-1917) : engenheiro, político e educador -- São Paulo : Leopardo Editora, 2010. x, 137 p. ( Coleção Cultura & Lazer )


Campos, Cristina de, Ferrovias e saneamento em São Paulo: o engenheiro Antonio Francisco de Paula Souza e a construção da rede de infraestrutura territorial e urbana paulista, 1870-1893 / Cristina de Campos -- Campinas, SP : Pontes Editora, 2010. 305 p.: 28 cm